João gordo joga toalha


Mesmo não confirmando a desistência do Ratos do Porão em tocar no Metal Open Air – festival a ser realizado entre esta sexta-feira (20) e domingo (22) em São Luís (MA) -, o vocalista João Gordo disse ao Terra que já perdeu a esperança de tocar no evento.
Sem receber a confirmação das passagens áreas de volta da capital maranhense pela organização, o músico e apresentador contou que não quer ficar preso na cidade. “Acho que a gente é a única banda que estava tudo mais ou menos certo. Recebemos as passagens de ida, a confirmação do hotel e acho que metade do cachê, mas não temos as passagens de volta. E eu não quero ficar preso lá ou ter que pagar do meu bolso”.
João apontou a inexperiência dos organizadores como o principal motivo dos cancelamentos das bandas. Entre os grupos que não irão mais tocar estão os ingleses do Venom e Saxon e as brasileiras Hangar, Headhunter DC, Terra Prima e Obskure. “Isso é coisa de gente iniciante, de pessoas que quiseram abraçar o mundo”.
Antes de se apresentar no festival de metal, no domingo, o Ratos do Porão passam pelo Abril Pro Rock no sábado (21).
Além disso, ele alertou sobre um possível motim do público que já está acampado no festival. “Com todos esses cancelamentos, periga até de acontecer um tumulto por lá”.
Falta de contato entre as bandas e a organização e a não-notificação sobre hotel e translado são as principais reclamações dos grupos escalados para o festival. Eduardo Pisca, produtor do Matanza, contou que continua esperando por uma palavra do Metal Open Air. Procurado pelo Terra, a Negri Concerts não foi encontrada.
“Estamos deixando rolar. Mas se eles deram cano até nas bandas internacionais, por que não iriam dar nas bandas nacionais também?”, disse Pisca. O grupo carioca ainda não recebeu passagens de ida e volta, confirmação de hospedagem e cachê.

Comentários