Lemmy: " Não venderia algo que é uma merda..."


Lemmy Kilmister concedeu entrevista à Classic Rock Revisited. Confira os melhores momentos.
Você tem um estilo particular de tocar baixo. Isso já causou problema com algum de seus companheiros de banda?
Toco baixo como se fosse a guitarra rítmica. Brian Robertson sempre reclamava disso. Ele dizia “Não há baixo, como vou me guiar? Preciso de uma base”.
Por que você não se tornou guitarrista, então?
Cheguei a ser, mas era medíocre, então mudei para o baixo.
Você gosta de uma boa bebida. Fale sobre a vodka do Motörhead.
A companhia cuida dos negócios. Tudo que tenho que me preocupar é com a qualidade do produto. Temos também um vinho que é muito bom. Não venderia algo que é uma merda.
Falei com Fast Eddie Clarke e disse que tentaria reunir a formação clássica. Você consideraria uma turnê com aquele grupo?
A banda atual já está junta por mais tempo que aquela. Passamos por momentos muito mais difíceis. Não vejo porque deixar isso de lado por causa de nostalgia. Nem sei se Eddie e Phil ainda conseguiriam fazer isso.
Penso que um dos segredos do Motörhead é o fato de vocês nunca terem tentado escrever um hit.
Nunca vi sentido nisso. Não venderia meu coração por dinheiro. Seria possível fazer isso, mas seus fãs o abandonariam, pois saberiam que você estava se vendendo.
Por que mesmo assim o Motörhead tem tanto apelo junto às pessoas?
Por que irritamos os pais. O melhor Rock and Roll sempre fez isso. Se pedem para abaixar o volume, você está no caminho certo.

Comentários