Pipoca e cerveja combatem Alzheimer, câncer e envelhecimento precoce

O cheirinho da pipoca está no ar e, ao lado daquela tigela bem cheia, uma geladíssima caneca de cerveja. Tem coisa melhor? Cientistas da Universidade de Scranton, da Pensilvânia, nos Estados Unidos, e da Universidade de Barcelona, na Espanha, garantem que não, pelo contrário, tanto a pipoca como a cerveja podem ser muito benéficas à saúde humana.
A pipoca, segundo uma pesquisa divulgada nesta semana pela Universidade de Scraton, é rica em polifenóis, substâncias químicas antioxidantes encontrada geralmente em frutas, legumes e hortaliças, que são capazes de ajudar na prevenção do envelhecimento precoce, Mal de Alzheimer e até de alguns cânceres.
Os antioxidantes são responsáveis por diminuir a presença dos radicais livres no organismo do ser humano e, de acordo com os cientistas norte-americanos, 30 gramas de pipoca contém até 300 microgramas de antioxidantes, quase o dobro da quantidade encontrada nas frutas (porções de 80 gramas têm em geral 160 microgramas de antioxidantes).
A pesquisa revelou, ainda, outro dado bastante interessante: a maior concentração de polifenóis está naquela casquinha dura e de cor marrom da pipoca (aquela que incomoda a gengiva dos consumidores) e uma porção diária da guloseima pode oferecer ao ser humano 70% de sua necessidade diária de consumir grãos integrais.
Em Barcelona, cientistas da Universidade de Barcelona, médicos do Hospital Clínico de Barcelona e pesquisadores do Instituto Carlos III de Madri, comprovaram que tomar cerveja diariamente combate a diabetes, evita ganho de peso e previne contra a hipertensão. A bebida, segundo Rosa Lamuela, médica do hospital clínico, ainda é muito rica em ácido fólico, vitaminas, ferro e cálcio, que são nutrientes que protegem o coração.
Os resultados do estudo foram divulgados após 1250 pessoas, entre homens e mulheres com idade superior a 57 anos, terem passado por testes. Lamuela disse que as mulheres podem tomar dois copos pequenos de cerveja por dia e os homens, três.
Mas para que a pipoca e a cerveja sejam benéficas aos organismo, os cientistas alertam: a pipoca deve ser preparada com o mínimo de óleo possível e a ingestão da cerveja não pode acompanhar petiscos fritos ou salgadinhos calóricos. Os dois alimentos também exigem que o consumidor mantenha uma rotina de exercícios físicos, caso contrário, o efeito será negativo.

Comentários