GOLPE DE ESTADO: Baixista dá um "golpe" e coloca ponto final na banda....

"Enfim, sair do conforto e correr um puta risco", com essas palavras o baixista Nelson Brito, único membro original na banda paulista, definiu o que significa para ele o final do Golpe de Estado. Em uma carta escrita à mão e escaneada no facebook, o baixista anunciou dissolução da emblemática banda; a única lançada pelo selo Baratos Afins que nunca parou de tocar e sempre se manteve fiel ao estilo e às letras em português.

Nelson Brito continuou no Golpe de Estado por três mudanças de vocalistas, e havia permanecido com o guitarrista Helcio Aguirra (ex- Harppia) quando o baterista original Paulo Zinner (ex- Rita Lee) se desligou do conjunto. Após o inesperado falecimento de Aguirra, em 2013, principal compositor do quarteto, o mestre das quatro cordas ainda levou a banda adiante até agora; porém, após três décadas só nesse grupo, optou encerrar as atividades do mesmo.

Confira a transcrição da carta:

10/06/2015 - CARTA ABERTA DO GOLPE DE ESTADO,

Amigos, passei esses últimos meses pensando e analisando o que fazer. Hoje, com total convicção e tranquilidade, torno oficial e público: a atual formação do Golpe de Estado encerrou suas atividades na certeza de estar fazendo o melhor para todos; para o público e para o Golpe.

Agradeço mesmo o excelente CD "Direto do Front", todos os shows maravilhosos e me desculpar pelo meu jeito de ser. Vocês são parte da História do Golpe e nada vai mudar isso.

Vou gravar um material que estou em dívida há alguns anos, fazer alguns shows (comemorativos) dos trinta anos - tudo nos moldes do tributo ao saudoso Helcio Aguirra. Uma noite triste, mas uma bela homenagem, com vários convidados maravilhosos; que oxalá, queiram me dar a honra de reler, reconstruir as músicas que tanto amo. Enfim, sair do conforto e correr um puta risco.

Muita saúde e sorte para todos,
Abismo, aqui vou eu, de novo.
Nelson Brito,
GOLPE DE ESTADO.

O último concerto do Golpe de Estado foi no aniversário da cidade de São Paulo, em 15/01 deste ano.

Comentários